A antiga direção do Internacional, que fez o contrato de Ariel, esclarece que o empréstimo do centroavante custou 500 mil dólares (R$ 1 milhão e 600 mil) e tem salário de 1 milhão de dólares (R$ 3 milhões e 200 mil) por ano. Por mês, com impostos, dá algo em torno de R$ 300 mil de salário. Além disso, ele tinha mais 10 cláusulas, se fosse goleador, campeão Brasileiro, da Libertadores ou convocado pra Seleção. Só que isso não foi preciso pagar, né. Somando os valores, é como se ele custasse R$ 400 mil a cada 30 dias no Beira-Rio.

Outra: acredita-se que um dos motivos da saída de William é porque o grupo de jogadores não ficou do lado dele após a briga com Anderson. O ala voltou diferente dos Jogos Olímpicos e isso não pegou bem. Em conversa com a imprensa em uma das viagens, o próprio presidente Vitorio Piffero falou que ele estava “unhudo”.

Mas engana-se quem pensa que o lateral vai treinar em separado muito tempo. Caso a negociação não aconteça, ele vai voltar a jogar. O motivo? Além da bola, óbvio, o cara é um dos grandes amigos do D’Ale. Lembro de uma matéria que fiz sobre isso ainda no começo de 2016. Aqui o link.

arielFoto: Ricardo Duarte/Inter.