Renato acredita que seu time errou ao tentar cruzar a bola toda hora pro Barrios na área. Seu time não sabe jogar assim, eles precisam entender que dá pra trabalhar a bola melhor antes de tocar pro gringo.

“Não é porque um jogador chegou e tem que botar ele pra jogar. Pra terem uma ideia, o último jogo que Barrios jogou foi em outubro. Não é assim. A mesma coisa o Gastón Fernández. Daqui há pouco o jogador machuca. O Barrios, por estar sem ritmo de jogo, no incio do primeiro tempo sentiu o adutor. E eu fui conversando com ele, tranquilizando, mandando ficar perto da área pra não arrebentar a lesão. Falei com ele no intervalo do jogo, com os médicos, achei que poderia voltar, mas não aguentou. Tive que tirar. Então é por isso que eu falo “quando as pessoas falam que tem que botar fulano ou ciclano”, isso entra no meu ouvido e saí pelo outro. Eu sei o que estou fazendo. Tanto é que está aí, colocamos um jogador que estamos preparando e ele sentiu pois está há muito tempo sem fazer um esforço grande. A mesma coisa com o Gastón. Só pede pra botar quem não entende de futebol. Temos nossa programação e ela é que vai prevalecer. Não adianta falar, porque as pessoas que estão aqui dentro da Arena entendem de futebol. Essa é a resposta que eu tenho que dar pra alguns que acham que fulano tem que chegar e colocar ele no time.”

Valores e jogadores que o Grêmio deve colocar na negociação por Musto