Foto: Ricardo Duarte/Inter

Na entrevista coletiva desta semana, o lateral Cláudio Winck revelou uma conversa com seu pai, Sérgio Winck, no começo da temporada para definir seu futuro. Tinha a possibilidade de ir pra fora do país, atuar em campeonatos que não eram os principais da Europa, mas bons também.

Só que a escolha foi ficar, se destacar no time B jogando a Terceirona Gaúcha e apostar que uma hora a chance no time de cima iria aparecer.

A meta era clara: o ala teria meio ano para conseguir despertar a atenção do treinador principal. Se não tivesse sucesso, aceitaria sair para estes clubes que estavam batendo na porta.

A proposta mais concreta era de Portugal. Na imprensa de lá, noticiam que Sporting e Vitória de Guimarães estavam querendo o jogador.

Não foi preciso, aos 23 anos, Winck já tem 8 jogos e 2 gols em 2017. Em toda sua carreira no Inter, são 53 jogos, 11 gols e 2 assistências.