Na quarta-feira 19 de setembro, antes do jogo contra o Botafogo, estava decidido que Luan não jogaria a partida. Ele não treinou com os jogadores e não ficaria nem no banco de reservas. Iria pra concentração apenas para fazer mistério pro time carioca. No entanto, diante da insistência do atacante, Renato aceitou deixá-lo no banco. Ele tinha condição? Evidente que não. Mas se estivesse perdendo, o treinador colocaria o camisa 7 no jogo de qualquer jeito mesmo, num ato de desespero, para tentar a classificação.

E isso só ocorreu por insistência do próprio Luan. Ele batia o pé dizendo que queria ajudar, aceitava ir pro sacrifício se fosse o caso.

Os deuses do futebol ajudaram e não foi preciso sacrificá-lo. Luan só entrou nos minutos finais porque insistiu novamente. As imagens mostram que Renato não queria colocá-lo, mas cedeu aos pedidos dele.

Agora, o departamento médico quer ter todo o cuidado possível. Afinal, o que parecia apenas uma distensão, virou uma lesão de verdade. E, como essa é a primeira lesão muscular da vida do cara, ele não faz ideia do quanto pode forçar o músculo sem fazê-lo abrir por completo.

Se tudo correr bem, Luan viaja para pegar o Coritiba, no domingo, mas ninguém confirma a previsão oficialmente para não gerar mais expectativas.

Foto: Lucas Uebel/Grêmio